15 de dez de 2010

Quarta da Nutrição

Alimentação na gestação




A gravidez é um momento muito especial na vida da mulher. E uma boa nutrição nesta fase é mais importante do que nunca. Durante a gravidez, o corpo exige mais calorias e maior número de nutrientes, pois o bebê capta da mãe tudo aquilo que precisa para se desenvolver adequadamente. As reservas da mulher devem ser suficientes para suprir as necessidades dos dois. Ela deve comer grande variedade de alimentos, distribuídos em pequenas refeições – seis vezes ao dia, em média.

Mulheres com uma alimentação adequada durante a gestação têm menos riscos de complicações e dão a luz a bebês mais saudáveis. O dito popular "você terá que comer por dois" é de certa forma, verdadeiro.

Embora não precise comer o dobro, mas a importância agora é duas vezes maior, pois o corpo precisa de alimentos nutritivos para que se mantenha mais saudável, tanto para a mãe quanto para o bebê.

Todos os nutrientes necessários à dieta de um adulto são essenciais à gestante, mas ela precisa de maior quantidade de alguns deles, como cálcio, ferro, proteína, vitaminas C e D e ácido fólico.


Cálcio
Fundamental para a formação dos ossos e dos dentes do feto e para que a mulher produza o leite que irá alimentar o bebê. Ajuda a controlar a pressão arterial, batimentos cardíacos e a contração muscular. A ausência de cálcio pode acarretar queda de cabelos, câimbras e cáries ou perda de dentes.

As melhores fontes de cálcio são leite, queijo, iogurte, bebidas à base de soja, brócolis, folhas verde-escuras e figo seco.

A gestante absorve o cálcio muito rápido, então, basta adicionar duas ou três porções de leite ou derivados à dieta normal.

Ferro
Responsável pelo transporte de oxigênio para as células tanto do bebê quanto para a mãe.

A necessidade desse mineral duplica durante o período da gestação. O organismo precisa de doses extras de ferro, pois o volume de sangue aumenta na mulher. Além disso, feto precisa armazenar ferro para os primeiros meses de vida. 
Carnes vermelhas, carnes de aves, feijão, castanhas e nozes, mariscos, ostras, ovos e peixes

Proteína
As células do feto e da placenta são formadas basicamente por proteínas. Por isso, a mulher precisa consumir um pouco mais do que necessita á uma dieta normal.

Carnes, iogurte, leite, ovos, queijos, ervilha, feijão, cereais integrais, grão- de -bico e lentilha.

Vitamina C
Responsável pela absorção do ferro e importante nutriente para a formação óssea.

Frutas cítricas (laranja, acerola, abacaxi, limão etc.), couve, brócolis, kiwi, morango, pimentão, repolho e tomate.

Vitamina D
Seu papel principal está na absorção do cálcio. Sua carência pode provocar deformações ósseas e atraso no crescimento do feto.

A luz solar é a principal fonte para que organismo produza essa vitamina. Mulheres que não podem expor-se ao sol devem ingerir alimentos ricos em vitamina D, como manteiga, ovos e peixes gordurosos.

Ácido fólico
Essencial para o desenvolvimento adequado do cérebro e da medula espinal. A sua ausência pode provocar defeitos no tubo neural – o sistema nervoso primitivo do feto, acarretando imperfeições.

Suas fontes são abacate, amora, arroz integral, aspargo, batata, beterraba, brócolis, carne bovina magra, couve de Bruxelas, couve, couve-flor, espinafre, feijão, frutas cítricas, massa integral, nozes e ovos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário